Sobre carros, potência e ultrapassagem

Este fim de semana resolvemos aproveitar o feriadão para visitar amigos e família. Foram 800km de pista dupla mais 400km de pista simples. Valeu a pena. Não há nada mais revigorante do que os sorrisos e abraços desses momentos.

Eu tive que dirigir por todo o trajeto. Meu esposo, indiano, não possui carteira de habilitação aqui no Brasil (e eu não dirijo na Índia). A paisagem ao redor era o cerrado brasileiro com seus desenhos naturais ou extensões plantadas de soja e café, o terreno predominantemente plano, com pistas infinitamente retas. Quem já dirigiu no cerrado sabe que essas estradas são um convite à alta velocidade e ao sono. Entretanto, por cerca de 1 hora na estrada simples, eu e mais uma fila de carros tivemos que nos resignar em seguir um Palio à nossa frente. Era no mínimo engraçado, para não dizer irritante ou perigoso, observá-lo cada vez que tentava fazer um ultrapassagem.

A melhoria das estradas, criação de pista duplas e câmbios automáticos aumentou nossa velocidade e diminuiu nossas habilidades. Nessa vida de pistas duplas, quando você volta para pista simples, você precisa ser relembrado da arte da ultrapassagem. Sim, a ultrapassagem é uma arte, não é fácil, nem tão simples quanto parece, especialmente se você está dirigindo um motor 1.0.

E esse camarada, apesar de estarmos viajando a mais de 100km/h, toda vez que tinha que ultrapassar, apanhava muito. Ele não percebeu que para alcançar a potência máxima e velocidade do seu motor tinha que reduzir a marcha em que estava. Todas as vezes que tentava ultrapassar ele saía do jeito que estava. Ele confiava na sua velocidade atual, que era obviamente maior que a dos caminhões à sua frente. Embora os caminhões estivessem rodando a apenas 90km/h, esse motorista não percebia que havia outros fatores a considerar e, portanto, tinha que reduzir a marcha, ganhar potência para então ser capaz de manter sua velocidade para ultrapassagem.

Por várias vezes ele quase provocou acidentes porque saíamos de trás dele pra tentar ultrapassar com potência no motor mas ele também saía, não alcançava potência e tinha que voltar, reduzir e entrar atrás do caminhão de novo. Nesse processo, ele quase nos acertava de traseira. Foram várias vezes que isso quase aconteceu, o que me fez decidir desistir e me resignar a assistir enquanto outros tentavam ultrapassá-lo.

Enquanto assistia o desenrolar dos fatos comecei a pensar sobre a vida, o trabalho e o ritmo das coisas. Somos todos viciados em velocidade, superação, metas, alcance de alvos e objetivos. Desde crianças somos ensinados a perseguir com determinação o sucesso pessoal, intelectual, profissional. Novos recursos, estratégias e aplicativos são criados todos os dias para garantir a velocidade e o alcance do sucesso.

Porém, assim como nas estradas do cerrado, nem sempre circulamos apenas por estradas duplas, macias, velozes e seguras. Volta e meia nos deparamos com estradas simples, acidentadas, cheias de obstáculos e quando isso acontece nós não nos lembramos mais de como circular nesse ambiente, como evitar os buracos e ultrapassar as barreiras.

Para garantir o sucesso, a chegada, o tempo e a segurança, o princípio fundamental de sobrevivência nessas estradas é reduzir a velocidade, reduzir a marcha.

Hoje comemoramos o Dia do Trabalho. Inúmeras conquistas foram feitas ao longo dos anos para garantir mais saúde, honra e qualidade de vida de homens e mulheres que diariamente dedicam suas vidas na construção de um mundo melhor. Ainda muito mais há de se conquistar antes de podermos dizer que existe reconhecimento real da vida e potencial do trabalhador.

Meu desafio para você hoje é a constatação de que para alcançarmos nossos alvos e vencermos obstáculos, mais do que maior velocidade e tecnologia, muitas vezes o que realmente precisamos é reduzir a marcha.

Que nesse feriado você tome tempo para diminuir atividades, recarregar energias, recuperar potência, para atingir seu potencial máximo e ultrapassar as barreiras que virão no dia seguinte.

Tome tempo para abraçar, rir, brincar, pisar na grama, amar e compartilhar. Tome tempo para orar, cantar, ouvir e meditar. Tire o dia para ler um livro, tomar um banho mais demorado, lavar seu cabelo, assistir um filme, fazer uma torta de maçã com canela, se arrumar para um encontro com seu namorado, passear com o cachorro, fazer cócegas na barriga dos seus filhos.

Neste Dia do Trabalho vamos celebrar a VIDA do trabalhador, mais do que o trabalho.

Fotografia: Unsplash

 

Escrito por

Cidadã do mundo, ela nunca conseguiu responder à pergunta "de onde você é?". Nascida em Minas Gerais, cresceu no Pará, se formou em São Paulo, exerceu a Terapia Ocupacional em Goiás até ir para o Nepal onde esteve nos últimos 6 anos, e onde conheceu seu marido. Se casou na Índia e está de volta ao Brasil por tempo indeterminado. Para ela o dia perfeito começa com cheiro de café coando, pão com manteiga na chapa chiando, minutos preciosos lendo e conversando com o Pai, e a risada de sua filha de 2 anos anunciando que o agito já vai começar.

2 comentários em “Sobre carros, potência e ultrapassagem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s