Entre a corrida e a arquibancada

Portanto, nós também, pois estamos rodeados de tão grande nuvem de testemunhas… (Hebreus 12:1)

Quem são as testemunhas?

Esse versículo me faz pensar em todas as pessoas que fazem parte da minha caminhada cristã. Pessoas que têm um lugar estratégico, um lugar muito bem pensado e elaborado desde a criação do universo. Muitas conheci ao longo da minha jornada. Algumas encontrei pessoalmente e me sinto privilegiada por um dia ter estado presente junto a elas. Outras nunca vi! Mas as conheço assim mesmo. Conheço suas histórias. Uma coisa posso garantir, todas elas estão comigo, na longa e árdua corrida chamada “Vida”.

Gosto da forma como o autor da epístola aos Hebreus faz analogia da nossa vida com uma corrida (Hebreus 12.1-2). Se pensarmos bem, nossa vida é o tempo inteiro como um trajeto de corrida. Não estou tratando aqui de prazos, metas e tudo que faz parte do mundo de trabalho e empreendedorismo. Antes de tudo isso, desde antes de nosso primeiro momento, a metade de nós, ainda como espermatozoides, enfrentou a primeira corrida. E assim nossa vida terrena segue o mesmo roteiro do começo, meio e fim. Uma coisa é certa, cada um de nós está em sua posição na pista de corrida. Alguns mais à frente, outros um pouco mais atrás. Alguns tomando fôlego para passar por um obstáculo, outros se recuperando dos machucados e tombos.

Enfim, onde você está neste exato momento?

Parado? Correndo muito? Correndo devagarinho? Passando por um obstáculo difícil? Limpando os joelhos ralados pelo tombo? Cansado? Olhando para o lado? Com dor nos pés? Com sede? Onde, exatamente, você está agora?

Morei durante um bom tempo na cidade de Franca, interior de São Paulo. Naquela época, a cidade era muito conhecida pelo basquete. Havia um time super forte na cidade. Parecia que todos os moradores amavam basquete. Confesso que ficava um pouco cansada de ouvir apenas sobre essa modalidade e ver os outros esportes sendo meio que ignorados.

Mas enfim, depois de um tempo morando por lá, passei também a gostar demais de basquete. Assistir aos jogos era um programão e tanto, com direito a disputa por ingresso (enfrentando filas imensas). Lembro, claramente, de todos nós, os torcedores, fazendo festa na arquibancada. O time poderia estar super mal, mas o tempo todo ficávamos lá torcendo para que fossem campeões. Era nítido como isso era importante para os jogadores. Mesmo perdendo, eles sentiam confiança de continuarem até o final dando o melhor. Fazer parte daquela torcida era um privilégio. De certa forma, fazíamos parte também das vitórias.

Assim como na torcida de basquete, as pessoas que mencionei no começo do texto estão na arquibancada da minha vida. No caso não é o basquete e sim um trajeto de corrida. Essas pessoas já correram todo o percurso. Estão agora na arquibancada. Quando tudo está difícil, eu olho para todas elas. Suas histórias de vida, a fé e as lutas que tiveram me fazem ter coragem para continuar. Olho para aquela arquibancada e vejo Davi, Paulo, Ester, Abraão, meu avô, minhas avós e todos meus irmãos em Cristo que já estão na glória. Todos eles estão sentados ali. Eles me lembram que o trajeto é difícil, mas que assim como conseguiram, também conseguirei chegar até o fim. Não com nossas próprias forças, mas motivados pelo verdadeiro Campeão. Aquele que suportou todas as aflições da pista. Foi vaiado por tantos, mas prosseguiu. Venceu cada obstáculo! Se feriu gravemente! Mas perseverou carregando todo o nosso fardo. Tornou a nossa pista leve, de tal forma que conseguimos correr e passar por cada trajeto.

O testemunho dessas pessoas mostra que todas correram pela Graça de Cristo até o fim. Quando olho minha arquibancada, elas sinalizam que eu me fixe firmemente no final da corrida. Lá está Cristo aguardando. É para Ele que eu devo correr! Persistir até o fim, pois Ele persistiu até a Cruz! Ele foi vitorioso! Parte de seu legado está na arquibancada me incentivando a também perseverar e continuar. Me apego as suas história e lutas. Quem sabe um dia terei o privilégio de estar na arquibancada de alguém. Quem sabe o legado que deixarei aqui fará parte das vidas de outras pessoas. No momento, tenho que correr. Existe ainda um longo trajeto diante dos meus olhos. Sei que quando chegar ao fim, minha recompensa será o Autor e Consumador da minha fé. Minha recompensa será Cristo! Ele está lá, me aguardando, e esse dia será o melhor de todos, pois verdadeiramente minha vida começará!

Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus.  (Hebreus 12:1-2)

Imagem: I-DigitalPixel

Escrito por

Há quase dez anos mora na cidade cinza de São Paulo. Busca cores nas paletas que o Criador deixou. Graduou-se em Biologia e fez Mestrado na área de Neurocomportamental. Ama leitura e concorda com C.S.Lewis: "A experiência é uma professora cruel, mas você aprende. Meu Deus! Como você aprende!"

Um comentário em “Entre a corrida e a arquibancada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s