E Eu vos ouvirei

Cresci sendo ensinada a orar, ouvindo minha mãe enfatizar a importância de falar com Deus, de falar pra Ele dos meus medos, do que me deixava triste e do que alegrava meu coração. Quando criança, costumava ler um salmo toda noite e orar antes de dormir – claro que era mais comum eu dormir no meio das orações do que completar o que realmente queria dizer a Deus – mas, fui ensinada no caminho que deveria andar, e hoje vejo os frutos disso.

Lembro-me de ter ouvido alguém dizer que a oração é o momento em que você fala com Deus e a leitura da Bíblia é quando Ele pode falar com você. Bom, depois que essa afirmação ficou grudada na minha cabeça, comecei a refletir bastante sobre ela. De início concordei, até que me dei conta das muitas vezes em que percebi a voz sutil de Deus no meu coração nos momentos em que teoricamente só eu deveria falar. Perdi a conta de quantas vezes meu coração se acalmou na presença de Deus, simplesmente por ter sido honesta por completo a respeito de como eu me sentia, do que tirava a minha paz, ou por dizer a Ele como sou grata por tudo. Orar então, ganhou um significado completamente novo pra mim nos últimos anos. Deixou de ser algo que faço por terem me ensinado e passou a ser o meu momento com o Pai, um tempo de aprendizado.

Assim como eu, minha rotina de oração teve (e tem) suas fases. De tempos em tempos algo muda e minhas conversas com Deus têm épocas de maior e menor intensidade. Já tive muitas crises como os momentos de silêncio Dele ou as minhas orações mais curtas mas, depois comecei a entender que o que o Senhor quer é sentimento genuíno. A verdade é que, quando nosso coração se volta pro Pai da maneira mais honesta possível, Ele nos transforma de pouquinho em pouquinho. É convivendo com Ele que aprendemos a conhecer Seu coração e entender Sua vontade.

“A presença de Deus gera transformação de dentro pra fora.” – Rodolfo Abrantes

Orar nos transforma, muda a nossa perspectiva sobre tudo o que nos cerca, sobre nós mesmos e quem faz parte das nossas vidas. Oração é ato de rendição, é humilhar-se diante do Pai e reconhecer que há coisas – muitas, por sinal – que não podemos fazer sem a orientação Dele.

Nosso Pai se inclina pra ouvir as nossas orações –  “Ele inclinou seus ouvidos para mim; eu o invocarei toda a minha vida”. Salmo 116:2

Ele nos ensina a entender seus mandamentos e a viver em resposta a eles – “Dá-me entendimento para que eu guarde a tua lei e a ela obedeça de todo coração”. Salmo 119:34

E Ele conforta nossos corações com a certeza de quem somos Nele – “Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais”. Jeremias 29:11 e ” Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês, vai completá-la até o dia de Cristo Jesus”. Filipenses 1:6

Davi é meu maior exemplo de um relacionamento profundo e sincero com o Senhor e lendo suas orações percebemos isso. Por mais que errasse, Davi tinha consciência de quem era para Deus: um filho amado que tem a liberdade de correr pros braços do Pai sempre. Davi compreendia a vontade do Pai porque O conhecia, sabia que Ele é o mesmo ontem, hoje e amanhã – “Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. (…) este é o meu nome eternamente, e assim serei lembrado de geração em geração.” Êxodo 3:14-15.

“A perfeita confiança de Davi sabia que Deus lhe supriria cada necessidade, e por isso recorreu a Deus em oração na hora difícil.” – Russel Shedd

Ao buscarmos a presença de Deus em oração, encontramos muito mais do que esperamos. É isso que Ele faz: surpreende-nos simplesmente por ser Ele. Não sei ao certo o porquê disso – e a verdade é que talvez nunca descubra – mas, o pouco que já pude aprender deixou certo no meu coração que nossa vida é um louvor a Deus e que nossos passos são direcionados por Ele, principalmente nesses momentos em que buscamos conhece-Lo e acabamos por conhecer a nós mesmos, da maneira como Ele nos vê. O alívio é encontrado quando vamos a Ele e nos rendemos.

Somos movidos pela certeza de quem somos em Deus e que em Sua presença temos tudo. A oração é que nos proporciona essa certeza, o tempo com nosso Pai é que nos ensina que é para isso que existimos: para nos entregarmos a Ele, de modo que caminhemos juntos. Não é à toa que Jesus passava tanto tempo em oração, ou que Jeremias escreveu, inspirado por Deus, que Ele nos ouve quando O buscamos de todo o coração. Passamos a vida toda aprendendo que com o Senhor tudo sempre se faz novo e que – seja no inicio, no meio, ou no fim do dia – nada é mais importante que compartilhar a vida com Aquele que sempre está interessado em ouvir.

Então, me invocareis, passareis a orar a mim, e eu vos ouvirei. Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração.” Jeremias 29:12-13

 

Fotografia: Pixabay

Escrito por

Manauara, 20 anos, estudante de direito e psicologia, mais velha de 4 filhos e moldada pela graça de um Deus de amor.

Um comentário em “E Eu vos ouvirei

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s