Uma oração reformada

Outubro é um mês relevante e deve causar em nós algumas reflexões. Além de indicar que mais um ano quase chegou ao fim (faltam só oito semanas para o Natal!), também nos traz à memória um acontecimento importante, a Reforma Protestante. Há quinhentos anos homens foram usados por Deus para clarear e, pode-se dizer, desmistificar a fé cristã. A cegueira espiritual predominava face às dificuldades vividas pelas pessoas que, na maioria dos casos, não podiam por si mesmas descobrir a verdade. O conhecimento era privado de muitos, um privilégio de poucos.

Temos vivido tempos conturbados, o prazo de validade deste mundo parece estar se expirando. A todo instante nos deparamos com notícias ruins, guerra e fome, e o amor de fato se esfriando de quase todos. É como uma “Idade das trevas”, mas em um contexto diferente. O que outrora era controlado pelo clero, hoje parece ser dominado pelas mãos do relativismo, do tanto faz, de conceitos abstratos e “politicamente corretos”. O que antes era falta de conhecimento, hoje é informação demais. É um desafio diário vivermos progressivamente “em reforma”.

Em meio ao caos que se instala a cada dia mais profundamente em nossa sociedade, temos alguns meios de refúgio e dentre eles destaca-se a oração. O ato de falar com Deus e de estar disposto a ouvir o que Ele tem para nos dizer nos transforma a cada dia, nos faz parecer mais com Ele e menos com este mundo tenebroso. E nesse constante amadurecimento somos capacitados a enfrentar os ventos e tempestades dessa vida.

Quando criança eu costumava me perguntar o porquê do “no nome de Jesus, amém”, e hoje agradeço a Deus por ter compreendido tal expressão. Imagino que também os reformadores se sentiram abençoados com a compreensão de tal verdade! Grande bênção é termos livre acesso a Deus, por meio de Cristo. Somente Cristo (Solus Christus) nos dá a oportunidade de nos achegarmos diante do Pai em oração. Não precisamos de sacrifícios ou de preencher qualquer outro requisito. O sangue que Ele derramou na cruz nos dá a “senha” da qual precisamos para estarmos na presença de Deus, o que de fato nós não merecemos, mas nos é dado pela graça (Sola gratia).

Recordo-me das aulas da escola dominical em que aprendi especificamente sobre a oração. Lembro do professor ensinando como ao orar devemos passar por algumas etapas, seguir uma estrutura. Hoje imagino que tenha sido uma maneira pedagógica de dizer que orar não é só pedir ou agradecer. Não quer dizer que toda e qualquer oração precise seguir os tópicos, mas algo ficou bastante nítido para mim: preciso aprender a glorificar a Deus enquanto oro. Não simplesmente contar a Ele como foi o meu dia, agradecer pela vida e tudo o mais, e fazer alguns (muitos) pedidos. Ele é o Criador dos céus e da terra e é digno de todo o louvor. A glória que rendemos a Ele deve ser expressa em nossas vidas, e creio que também em nossas orações (Soli Deo gloria).

Somente a fé (Sola fide) nos leva a orar e a confiar que de fato Ele nos ouve e fala conosco. Para aqueles que ainda não O conhecem pode parecer loucura, mas para nós é uma dádiva experimentada dia-a-dia. Deus graciosamente nos abençoa com a sua presença e com o seu amor e consolo quando, durante um dia corrido e estressante, paramos para conversar com Ele, ou quando não paramos e simplesmente falamos com Ele enquanto desempenhamos nossas tarefas diárias. Como um Deus tão majestoso nos ouve assim, tão sem “formalidades” e cerimônias? Ele é um Deus de amor e quer se relacionar conosco, e é isso que aprendemos em sua Palavra (Sola scriptura).

Peço a Deus que, ao orarmos, Ele nos fortaleça e nos capacite a enfrentarmos os males deste século, a fim de que sejamos sempre reformadores em um mundo que desesperadamente precisa de uma boa reforma, até que Ele venha. “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.” (2 Crônicas 7:14)

Fotografia: Josh Boot on Unsplash

Escrito por

Casada, estudante de Direito, servidora pública na Justiça do Trabalho, área em que pretende seguir carreira até onde Deus permitir. Atualmente em Catanduva/SP, mas com um eterno desejo de voltar para Goiás. Apaixonada por crianças, sonhando com o dia em que terá algumas para chamar de "suas". Cresceu em um lar cristão e entregou sua vida a Cristo aos nove anos de idade. Descobre a cada dia como é bom ser cuidada e protegida por Ele. Pintaria a vida de cor-de-rosa com glitter.

3 comentários em “Uma oração reformada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s