Um passo de cada vez

A Palavra de Deus ensina a “cantar salmos, hinos e canções espirituais; louvar a Deus, com gratidão no coração.”(Colossenses 3:16). O coração grato aponta diretamente pra Ele. É sinônimo de descansar na certeza de que temos ao nosso lado Aquele que nos ama incondicionalmente e nos molda de acordo com esse amor todos os dias. Lembrar-se de tudo que vivemos e fizemos ao longo do ano (ou da vida em geral) costuma trazer aquela sensação agridoce dos bons e maus momentos, daquilo que gostaríamos de viver de novo e do que preferíamos que não tivesse acontecido da maneira como aconteceu – mas que, ainda assim, nos construiu e, por isso, somos gratos.

Nunca vou esquecer-me de um domingo em que, já no finalzinho do culto, o pastor falou à igreja o quão importante é termos o coração grato a Deus por tudo e em seguida nos convidou a orar apenas agradecendo ao Senhor por todas as coisas – boas e ruins – que já tinham acontecido conosco. Lembro claramente a sensação de falar com Ele simplesmente pra agradecer todas as coisas que faziam parte de quem eu era até aquela época. De repente me dei conta que toda a igreja estava fazendo a mesma coisa e meu coração transbordou de paz e uma alegria inexplicável. Naquele momento entendi o quanto nosso Pai se agrada em nos ouvir agradecer.

Tenho aprendido que a oração muda nossos corações e nos permite ver a vida e as circunstâncias da perspectiva Dele e é nesse momento que enxergamos a gratidão genuína: viver sob a graça de um Deus de amor, ter a chance de nos dedicar dia após dia a Ele e compreender que nossa visão sobre a vida é limitada, mas nosso Pai nos permite errar e acertar, nos ampara e levanta quando caímos e nos ensina quem somos ao se revelar a nós. Tudo isso é motivo de dar graças, tudo isso é motivo pra viver uma vida de entrega.

Esses tempos eu tenho meditado no Salmo 34 e um versículo que chama a minha atenção é justamente o primeiro “Eu sempre darei graças a Deus, o Senhor; o seu louvor estará nos meus lábios o dia inteiro.”.  Adorar e ser grato ao Senhor todos os dias e todas as horas é um exercício. Sempre peço que Papai me dê um coração manso e ensinável, mas ainda sou bem teimosa com algumas coisas e é justamente nessas coisas que a dificuldade de agradecer aparece, porque elas normalmente não dão certo como eu idealizo.

 “Estas não são as palavras de alguém cujo humor está em constante ebulição; são as palavras de uma pessoa que simplesmente decidiu aproveitar todas as chances para dizer algo bom; uma pessoa pronta para expressar gratidão por todas as coisas (…) porque ele crê que Deus está trabalhando em todas as coisas para fazer o bem.” – Eugene Peterson.

Esse ano Deus me presenteou com um mar de coisas boas, e junto com elas vários desafios – pra não perder a emoção. Tive o privilégio de começar o ano servindo no Musical de Páscoa da minha igreja e, melhor ainda, ver a minha mãe servindo junto exatamente naquilo que ela ama: música; pude viver pela segunda vez a emoção de ver centenas de mãos levantadas em resposta a um convite a quem gostaria de estudar a Bíblia, depois o prazer de ligar pra algumas delas e ouvir nada além de amor por Jesus nas respostas e acompanhar ao longo do ano muitas dessas mãozinhas que ganharam rostos e nomes na minha memória, ao passo que se envolveram com a igreja e fizeram do meu lar o delas também. Sou grata a Deus por cada uma delas. Uma experiência sensacional que Papai me proporcionou foi a convicção de estar no centro da Sua vontade enquanto servia em cada lugar ou momento diferente.

Como nem tudo na vida são flores, as situações mais complicadas chegaram também. Afinal, todos nós temos nossos altos e baixos durante a caminhada cristã. Deus me ensinou ao longo do ano o significado de obediência e perseverança (que eu ainda estou aprendendo, porque é um processo). Como já comentei, sou meio teimosa, então em muitas das vezes que o Senhor fala comigo, eu duvido e hesito em tomar logo uma atitude, por causa disso levei três longos meses pra dar o braço a torcer e buscar compreender a vontade de Deus em meio a tudo que estava acontecendo; desafios ligados à obra da qual eu tanto amo cuidar e em outras áreas da minha vida (na faculdade, por exemplo), por diversas vezes tornaram mais difícil manter o coração agradecido ao invés de aflito.

Apesar de tudo, no final das contas não há teimosia, vontade, dúvida ou hesitação que cale a voz de Deus, basta estarmos prontos e dispostos a ouvir. Posso dizer que passar por esses momentos foi o que me ensinou que obedecer é mais do que falar “sim, Senhor”, mas concordar com o coração agradecido por saber que a nossa vida toda é um testemunho de quem é o nosso Pai, por isso aprendi – e estou aprendendo – a ser grata também pelas dificuldades porque é no vale que nos tornamos humildes o suficiente pra reconhecer que tudo vem dEle. O sentimento de gratidão ao Senhor pelos seus ensinamentos e sua fidelidade não tem preço e é o que nos constrói e nos leva pra direção da vontade perfeita de Deus.

Fotografia: frank mckenna on Unsplash

 

Escrito por

Manauara, 20 anos, estudante de direito e psicologia, mais velha de 4 filhos e moldada pela graça de um Deus de amor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s