Agente do Reino ou agente secreto?

Ao longo de doze anos de carreira, encontrei muitos cristãos atuando nos mais diferentes escalões do mundo corporativo. Alguns falavam de sua fé abertamente e procuravam  ser coerentes em suas atitudes. Outros não pareciam muito preocupados em dar um bom testemunho de vida. Identifiquei, porém, um outro grupo de cristãos que hoje eu chamo de Agentes Secretos do Reino. Isso mesmo: agente secreto. Ninguém sabe que a pessoa é cristã, ela não dá indícios em seu comportamento, voa abaixo do radar, e quando se descobre que a pessoa é cristã, geralmente é por algum acaso.

Demorei um tempo até entender que na maioria das vezes o/a irmão/irmã agente secreto tem medo de se posicionar por que sabe que os holofotes serão maiores sobre ele e com a atenção aumentada virão os dedos em riste, os questionamentos acusadores e as brincadeirinhas sem-graça. É assustador, de fato, se pensarmos friamente.

Mesmo sendo assustador, eu decidi que eu seria uma Agente do Reino ao invés de ser uma Agente Secreto no meu ambiente de trabalho. Procurei aproveitar todas as oportunidades para deixar claro os princípios e valores – bíblicos – que regem a minha vida. Mas, confesso, isso é muito cansativo e se você não tiver outros irmãos encorajando e caminhando contigo na mesma direção, jogando o mesmo jogo, pode parecer que tudo que você está fazendo é sem sentido e em vão.

Por essa razão é que sempre pesquiso políticos, artistas, executivos, profissionais liberais e atletas de renome que fazem questão de demonstrar sua fé em Jesus por meio de palavras e atitudes. A Copa do Mundo, mesmo, está cheia de irmãos em campo. Na seleção brasileira, o lateral William e sua esposa já deram entrevistas afirmando que estão orando pelo trabalho dos jogadores na Rússia. Pela seleção Colombiana, o zagueiro Yerry Mina, o meio-campo Juan Cuadrado e o atacante Radamel Falcao também são nossos irmãos e estão fazendo uma boa campanha. E o que dizer do Edinson Cavani, que marcou dois golaços decisivos para que o Uruguai avançasse para a próxima fase? Isso sem mencionar o meio-campo da Nigéria, Odion Ighalo, que aos 28 anos joga uma Copa do Mundo pela primeira vez, e o Keylor Navas, goleiro da Costa Rica, três vezes campeão da Champions League pelo Real Madrid e que esse ano afirmou categoricamente: “Jesus é mais importante que a Champions”.

Não tomo esses jogadores como ídolos – a idolatria é pecado! – mas os tomo como encorajamento para eu continuar firme no meu propósito de ser uma agente do Reino no meu local de trabalho e no meio daqueles com quem convivo. Ser um seguidor de Jesus não nos torna pessoas automaticamente perfeitas e que acertam em todas as decisões. O goleiro Navas já tomou uns frangos; Cavani já perdeu gols feitos; os laterais e os meio-campistas já deram passes ruins que acabaram nos pés do adversário. Todas as vezes que esses atletas falharam, os holofotes da mídia e da torcida estavam ligados e prontos para disparar à queima-roupa. Mas o posicionamento desses atletas em relação à sua fé permaneceu inabalável, como no caso do jogador panamenho Fidel Escobar que após o jogo contra a Bélgica se ajoelhou no campo e orou reverentemente mesmo após a derrota de sua equipe por 3 a 0.

Que sejamos agentes do Reino de Deus na terra, seja em campo ou fora dele, independente da nossa performance profissional ou do resultado final do nosso trabalho, livres de qualquer receio ou vergonha, para cumprir a missão que nos foi confiada:

“Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus. Pensem bem naquele que suportou tal oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vocês não se cansem nem se desanimem.” Hebreus 12:1-3 NVI

Com informações de Christianity Today

 Foto: Pexels

Escrito por

Brasileira por nascimento e espanhola no passaporte, casada com o Marco Antonio, cristã desde os sete anos de idade. Já trabalhou como enfermeira, manicure, maquiadora, contabilista, auditora e modelo plus size. Viajante frequente, após doze anos como executiva de Auditoria, descobriu que precisava de uma pausa para repensar a vida e redefinir as prioridades. Gosta muito de redes sociais, é apaixonada por tudo que faz e super curtiu quando o Facebook lançou as reações, principalmente o "amei".

3 comentários em “Agente do Reino ou agente secreto?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s