Dá um tempo pra mamãe!

Nasce um filho, nasce uma…. culpa. Sim… é verdade! As mães são cobradas dia e noite por si mesmas, pela família, pela igreja, no trabalho, em todo canto. Se você engordou depois de parir, se jogou fora; se você emagreceu rápido e é fitness, toda em forma, não liga pro filho, só pra você; se trabalha fora, é negligente;  se ficou em casa, desistiu da vida em favor dos filhos… e assim vai a lista da culpa para sempre e sempre amém!

É cansativo, é injusto! As mães já estão em um processo tão longe de auto-descoberta, de balancear a família e ela mesma, de cuidar de alguém 24h por dia e ainda cuidar de si.

Me entreguei totalmente à maternidade. Parei de trabalhar fora, com atividades na igreja, parei total! Minha meta era me derreter e me re-moldar nessa nova persona, a mãe. Isso vem muito da minha personalidade de extremos, ou sim ou não, ou oito ou oitenta, o espaço entre os extremos é ameaçador na minha cabeça. Então quando vou, vou com tudo!

Eu amo ser mãe, me entregar para meus filhos, amo que Deus me emprestou criaturas tão lindas pra que eu os eduque e cuide. Mas meu pai amado, nunca imaginei que seria uma jornada tão louca a coisa toda! Me descobri perfeccionista quando se trata da Mical-mãe. Nada, absolutamente nada se compara com o nível de cobrança que eu mesma apliquei à mãe que eu deveria ser.

As coisas foram se tornando bem difíceis! Tenho momentos de propaganda de margarina na interação com meus filhos, mas também aqueles em que eu me torno um T-Rex descontrolado, detonando tudo ao redor! Aquela mãe- noviça rebelde some e aparece a Bruxa do 71. Os ideais de não gritar, não deixar a criançada comer na frente da televisão… Como diz o ditado: cuspi pra cima, sem saber o que viria.

O Kairos foi um bebê bem tranquilo. Quando precisava fazer alguma coisa, como cozinhar, botava o bebê no berço com livrinhos e esquecia que ele estava lá. Algumas vezes chegava pra ver se ele estava bem e ele havia adormecido com livros e brinquedinhos no berço. A Petra demandava mais atenção. Fiquei em choque (ahahahaha)! Quando a Petra começou a comer comidinha, comia 3 colheradas e não queria mais! Perdi as contas das refeições em que acabei chorando, suja de comida, fazia brincadeiras, cantava músicas, lia monólogos de Shakespeare, e ela simplesmente não aceitava comer! O Zion é outro nível de quebra de paradigmas! Nasceu de 30 semanas e ficou 44 dias hospitalizado. Ao chegarmos em casa, passamos muitos apuros, pensei que não ia dar conta. Em algumas vezes me questionei se depois de ter sobrevivido tanta coisa, ele sobreviveria a mim.

Resumindo: Na minha cabeça a falta de aptidão da idéia preconcebida do que era maternar me deixava longe de ser alguém digna da maternidade.

Confesso que até hoje luto com tais pensamentos. Tenho aprendido, no entanto, que sou suficiente porque Deus completa o que falta em mim. Não chutei o pau da barraca e vou ver o circo pegar fogo. Mas o meu diálogo interno com a Mical-mãe, tem se abrandado. Tenho encontrado mais graça pra mim, graça do Céu. A graça que me garante que Deus é o Pai de seus filhos e que não os deixará desamparados. Já questionei em lágrimas o porque do Pai ter permitido que eu fosse mãe, sou tão imperfeita! Como Ele poderia deixar que alguém tão quebrada criasse e educasse filhos? Quais as consequências das minhas fraquezas e mazelas neles, crianças entregues a mim para fazê-los adultos, cidadãos de bem, e extrair o melhor deles, no caminho. A resposta é sempre a mesma. Eu sou suficiente. A verdade é que nunca serei. Os buracos que deixo, porém, sãos oportunidades que o Criador encontra para me lembrar de quem está no controle. Quem verdadeiramente é o Pai.

Nesses dias uma amiga, que também escreve para esse blog, fez uma pergunta no instagram que dedica à maternidade. Ela perguntou o que aprendemos com a maternidade, eu respondi algo assim: “Aprendi que, mesmo sendo muito imperfeita e precisando de ajuda de Deus sempre, Ele é quem cuida dos meus filhos. O Pai,  os ama mais do que eu posso amar. Então não há mais nada o que eu possa fazer se não entregar tudo nas Suas mãos”. Não foram essas as palavras exatas, mas o conteúdo era esse.

Nunca as palavras daquela velha canção foram tão reais: “É meu, somente meu, todo trabalho e o teu trabalho é descansar em mim”…

Essa entrega a Deus me impulsiona a buscar se melhor. Não tenho um medidor de traumas, mas sei que posso buscar a minha melhora como pessoa. Não departamentalizada (esse assunto rendia outro texto) mas uma Mical inteiramente completa através da graça, a mãe, a esposa, a profissional, todas.

Descobri que preciso fazer espaços na minha agenda para mim e pro meu Pai e aprender sobre a minha real natureza, que tantas vezes penso ser danosa mas tenho aprendido que, na verdade, é restaurada. Com essa consciência busco então chegar mais perto de Deus, meditar, fazer terapia (sim, sou dessas) e o que mais for necessário pra manter a saúde mental.

Compartilho com vocês então o que tem me ajudado. De repente, pode ser que ajude você também.

  • Arte. Pintura, desenho, cantar… essas coisas são essenciais na minha caminhada. Me conectam a Deus e me colocam num ritmo saudável.
  • A prática da disciplina espiritual: Lectio Divina. Não dá pra discorrer muito sobre isso pra não me delongar, mas envolve silêncio e solitude, Bíblia e oração.
  • Conversas com amigos de verdade. Encontrar espaço na agenda pra rir, chorar, abraçar e ser abraçada. Pessoas de confiança a quem você ama e quem amam você. Amigos enviados por Deus mesmo.
  • Exercícios de alongamento e respiração. Incrível como isso funciona bem.
  • E a lista não estaria completa sem falar do meu marido e melhor amigo. Sem melação (quem me conhece sabe que não sou dessas), conversar de verdade com o Laurence me ajuda a lembrar muitas coisas especiais sobre o nosso Pai, sobre nós e sobre o amor que nos alcança e se derrama sobre nossa família.

Por favor, ao ler essas palavras, não queira acreditar que tenho tudo isso como algo fácil. Ao contrário, essa melhoria pessoal tem que ser intensionalmente perseguida por mim. Um exercício voluntário e, muitas vezes, difícil de escolher. Às vezes passo meses bem sintonizada com essas verdades e entro no modo automático. Quando me vejo sofrendo, me lembro que deixei pra trás as práticas que tanto me ajudam tanto a ser mais saudável!

Se me permite um conselho: Encontre a maneira que Deus possa tirar o fardo das suas costas e trocar pelo Dele, que é mais leve. Encontre amigos de Deus, ore por eles. Entesoure-os no coração. A cobrança do dia a dia nos rapta das verdades eternas que já conhecemos (ou não). É lindo, no entanto, saber que o Deus imutável nunca deixa de nos oferece-las. Elas estão disponíveis sempre! Mas precisamos respirar fundo, criar coragem, olhar pra ele, olhar pra dentro e olhar ao nosso redor. Somente quando tiramos tempo conseguiremos enxergá-las.

Foto: pixabay.com from Pexel

Escrito por

Esposa, filha e nora de pastor. Casada, tem três filhos. Cresceu na igreja presbiteriana e hoje serve com o marido na quadrangular. É professora de inglês e metida a artista. Canta, desenha, pinta e faz artesanato. Ama o evangelho do Reino e da vida real e prefere ver a vida assim... verdadeira, sem muita maquiagem, porém com muita esperança e graça, sempre! Gosta de escrever sobre o cotidiano e como Deus é presente ali. Acredita que está ajudando na missão de transformar o mundo através da criação dos filhos. E segue em construção e desconstrução constante.

13 comentários em “Dá um tempo pra mamãe!

  1. Ser o que é e dizer o que seja kkkk é muito legal, falar e não usar máscaras é divino!Mical acho que não existe mãe que não tenha os mesmos questionamentos, porque se você conhecer esse ser kkkk me avisa que vou dizer que é um ET KKKK Amei seu texto.
    Hoje cedo li isso : *Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses.*
    Rubem Alves
    Nós vivemos isso é que bom que tem metamorfose em nossa vida, e acredito que tudo vem de Deus aquele que nós criou. Amo você é sua família de verdade!

    Curtido por 2 pessoas

    1. ❤️ hahahahaha Obrigada, Hosana! Ficamos combinadas então, se tu encontrares ou eu, a gente apresenta essa mãe pra outra. Hehehehe…. Obrigada, Hosana. É isso mesmo. Não somos robôs e temos emoções que foram dadas por Deus mesmo. Que bom que Deus falou com você através do texto. 😍😘

      Curtido por 1 pessoa

  2. Que benção querida, especialmente neste dia falou muito ao meu coração, ser mãe é com certeza o maior e mais especial desafio da vida de uma mulher, que o Senhor continue nos dando graça para conduzi-los ao Seu trono de graça e honrá-lo com nossas vidas!

    Curtido por 2 pessoas

  3. Parabéns Mikal ! Muito inspiradora sua reflexão, mentora de histórias para um bom livro. Deus na sua infinita graça e misericórdia nos molda a cada dia ,aperfeiçoando e fortalecendo nossa caminhada . Entendo bem como é ser Mãe de três,profissional,esposa… em fim, uma grande jornada,crendo que Deus é o nosso mentor e cuida dos detalhes da nossa existência. Deus continue alargando suas fronteiras e abençoando sua vida e sua família que amamos muito,mesmo distância,mas,perto no coração, minha sobrinha linda e talentosa.🤗😍😘

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s