Uma simples equação

Você já parou para pensar quantas decisões tomamos todos os dias?  Da hora que abrimos os olhos na cama até a hora de dormir? São tantas! Vou me levantar agora ou deixar o modo soneca do celular programado para mais uns minutos? Vou fazer minha caminhada hoje? O que vou vestir? E por aí vai. Em alguns dias, gostaria que fosse simples assim, que minhas decisões não passassem de meras escolhas cotidianas.

Ouvi certa vez que “o amanhã é um reflexo das decisões que foram tomadas hoje”. Fiquei pensando nisso e me veio à mente quantas coisas mudaram na minha vida como reflexo de minhas decisões. O problema é que nem sempre, na verdade um punhado de vezes, tomei decisões da maneira errada. Já tomei decisões motivada por emoções, outras vezes movida por empolgação e já deixei de tomar decisões por medo. E todas essas formas me trouxeram muita complicação e acabei tendo que voltar para “concertar” as coisas ou lidar com dores de cabeça que poderiam ser evitadas. Sabe o que essas “formas” de tomar decisões tem em comum que fazem com que os resultados sejam problemáticos? A resposta é bem simples e curta: eu.

Todas as vezes em que as emoções motivaram minhas decisões o meu “eu” estava com o volante na mão, com raiva, chateado, frustrado e etc. Todas as vezes que fui movida por empolgação, meu “eu” estava cheio de planos, expectativas e sonhos. Ah! E as vezes em que o medo tomou a direção, meu “euzinho” covarde estava mais preocupado com sua imagem e em como seria ruim mexer em certos assuntos, ou como seria complicado demais para ele lidar com confrontações, do que fazer o que era certo.

Deus usou literalmente uma aula de matemática para me lembrar que: quando o “Eu” vem primeiro o resultado da equação sempre dará errado. Agora em setembro meu filho mais velho começou a fazer contas de adição com mais de uma dezena. E no começo ele se esquecia por onde deveria começar a soma e começava da esquerda para a direita. Então se ele somava 15+15 dessa forma o resultado seria 210 ao invés de 30. Depois de um tempinho e algum treino ele entendeu que, na matemática, a coisa funciona da direita para a esquerda.

Então percebi como em algumas situações me pareço com meu filho. Já ouvi a explicação, Deus já me deu essas aulas e aqui estou, fazendo a conta do lado errado. Ele já me mostrou que a maneira certa de tomar decisões é recorrendo primeiro a Ele e a Sua vontade. Mas como saber a vontade dEle? Alguém pode perguntar.

Ele nos mostra em Sua Palavra, quando o buscamos em oração e quanto mais perto estamos do nosso Mestre, mais rápido aprendemos a solucionar nossas equações na nossa vida cheia de decisões a serem tomadas. Eu sei que muitas dessas decisões são difíceis e até desagradáveis eu diria, mas isso porque estamos olhando a equação do lado errado. Somos levadas diariamente a pensar em nós e em nosso bem-estar.  São pensamentos egoístas que pouco a pouco vão tomando espaço em nossas vidas e, de repente, estamos decidindo coisas importantes, que muitas vezes afetam a vida dos outros, baseado no meu cansaço, no meu tempo, nas minhas prioridades e lá vem o eu, eu, eu…

Deus tem me feito olhar as coisas complicadas da vida pelo lado certo. Ainda erro muitas continhas, mas felizmente Ele é um professor muito amável e corrige cada uma delas. Você se lembra daquelas equações enormes que fazíamos na escola? E quando uma coisinha estava errada tínhamos que apagar tudo o que havia sido feito e começar de novo? Pois é, na vida nem sempre dá para apagar, mas podemos fazer a coisa certa, do jeito certo. O jeito que Deus nos ensina.

Jay Adams no seu livro “De perdoado a perdoador” diz o seguinte: “O amor pode ser desprezado como o próprio Deus muitas vezes é desprezado. Porém, a parte que lhe cabe não é obedecer a Deus só quando poderiam aparecer resultados agradáveis. Você tem de obedecer sem que tenha uma visão das consequências. Sua única preocupação deve ser fazer a coisa certa, da maneira certa.”

É difícil tomar certas decisões sem saber como tudo vai acabar, pior ainda quando sabemos que o resultado não será doce ou florido, mas o Espirito Santo nos dirige para o que é certo e Deus nos capacita a suportar as consequências das decisões tomadas debaixo da Sua direção. Foi assim com seus profetas, foi assim com seus discípulos e pode ser assim comigo e com você.

 

Fotografia: Pixabay

Escrito por

Uma goiana de passagem por este mundo caótico, onde vem buscando ser moldada por Deus e ter uma vida que O glorifique. Mãe de três preciosidades: André-8, Danielle-6 e Tiago-3. Dona de casa com alegria e apaixonada por tudo que envolve este mundo "caseiro". Amante de um café fresquinho, cheiro de livro novo, artes manuais de todos os tipos e pamonha quentinha em um dia de chuva. Conheceu seu marido em Minas, já morou nos três estados do Centro-oeste e hoje serve ao Senhor da seara, com seu marido no treinamento de missionários junto a MNTB em Vianópolis.

Um comentário em “Uma simples equação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s