Não há milagre sem propósito

O milagre maior é a vida. Acredito que Deus quis nos ensinar isso quando trouxe Jesus de volta à vida, após a sua morte. Ele quis mostrar que tem poder para qualquer coisa, pois a morte é a única circunstância que o homem não pode resolver e que o frustra totalmente. Outro milagre é a geração da vida (que Jesus também vivenciou por meio de Maria). Cientistas tentam, mas ainda não criaram nada do zero, sempre fazem algo a partir de uma matéria já existente.

Em busca de que tipo de milagre você conduz sua vida? Vivemos num contexto em que muitos buscam milagres, sinais, coisas prontas (a começar da comida), mas alegrar-se com o simples, satisfazer-se com o básico, ser grato, esforçar-se e ser resiliente, não desistir, ter foco, passar dificuldades, trabalhar duro, por vezes ter que dormir tarde e acordar cedo, ahhh… essas coisas em geral não buscamos! É mais fácil pedir a Deus um milagre do que viver assim.

Existem aqueles que realmente precisam de um milagre: quando se descobre que não pode ter filhos; quando surge uma doença grave em alguém que você ama; quando o bebê nasce antes do tempo; quando alguém é desenganado pelos médicos; quando são decretados seus últimos dias de vida; quando um pai de família com dois ou cinco filhos fica sem emprego; quando filhos ficam órfãos… Quantas possibilidades de dor e sofrimento que eu poderia listar e ainda seriam insuficientes.

Por que Deus realiza milagres? Por que Ele atende a alguns pedidos e a outros não?

Longe de dar respostas fechadas a um assunto tão complexo, é melhor analisar o que Ele já nos deixou em Sua Palavra.

No Novo Testamento, a maioria dos milagres que Jesus realizou partiu dele, e não das pessoas. Ele foi de encontro à festa em que acabou o vinho; Ele foi ao tanque de águas onde estava um aleijado; Ele passava pelo caminho onde os cegos estavam assentados.

Alguns milagres também nunca foram pedidos para que fossem feitos. Maria e Marta não pediram para Jesus ressuscitar a Lázaro, apenas tinham a convicção de que se Jesus estivesse ali, Lázaro não teria morrido. A multidão não pediu que os pães e peixes fossem multiplicados. Eles apenas tinham fome. Aqui prevalece uma verdade que precisamos nos ater: Deus é soberano e tem os seus propósitos.

Estudando mais a fundo, os milagres que Jesus operou no Novo Testamento tinham suas razões. Eram sinais que indicavam um direcionamento ao povo sobre questões proféticas que foram levantadas no Velho Testamento, e apontavam para a vinda do Messias, que é Jesus Cristo. Mas não quero entrar tão profundamente aqui nessas questões.

Vou listar aqui alguns milagres que eu presenciei:

Meu nascimento. Segundo os médicos, minha mãe não poderia engravidar. Nasci de forma natural, sem nenhuma sequela. Minha única internação até hoje foi para o nascimento da minha filha.  – Eu nunca orei para que nascesse.

Carro roubado. Era um Uno, ano 96. Muito visado para desmanche. Me diziam que no máximo só encontraria alguma peça, pois com certeza já havia sido vendido para desmanches. Resumindo toda a história, seis meses depois, estava na igreja, findando um propósito de oração, entregando e fazendo morrer diante de Deus meu desejo de encontrar o carro, quando policiais foram até o templo onde me reunia, informando que encontraram o carro. Inteiro.  – Eu orei para que meu carro fosse encontrado.

Acidente de carro. Quatro anos depois disso, quando terminamos o curso teológico, íamos rumo a Monte Verde/MG fazer fotos “pré-wedding”. Era noite e chovia, o carro saiu da pista, deslizando no óleo. Estávamos ainda próximos a Ouro Fino. O carro capotou mais de três vezes, dando perda total. Éramos quatro pessoas. Exceto por um dos rapazes conosco que cortou a testa, ficamos todos ilesos. Em cima do capô formou-se um “M”, onde sobrou espaço apenas para meu corpo e do meu (na época) noivo. Ocorreram outros milagres naquela noite. Um celular sem rede ligando para o socorro. Um enfermeiro passando pela pista, numa região sem tanto movimento, e parando para ajudar. Uma família toda num carro esperando para nos ajudar, entre outras coisas.  – Eu não orei para ser salva aquele dia, pois não sabia que iria sofrer um acidente.

Doença na família. Meu pai ficou com uma doença terminal. – Eu orei, muitos irmãos oraram, vigílias foram feitas, mas meu pai faleceu.

Gravidez. Um médico certa vez disse que talvez eu não engravidasse, pois achou meus óvulos pequenos e pediu que procurasse um especialista. Não deu para ir a um especialista, decidi cuidar de outras coisas e entregar nas mãos do Senhor. E eu engravidei. – Eu orei por isso.

Nascimento da minha filha. No parto, paramos de ouvir o batimento cardíaco de nossa filha, ela parou de respirar, a sua posição não permitia. A enfermeira mandou eu virar de lado e respirar “com calma”. Virei de lado e ela voltou após alguns minutos. A tiraram às pressas com fórceps e uma episiotomia. Ela não tem nenhuma sequela, nenhum arranhão, nenhuma ferida, nenhum amassadinho. Eu orei para que ela vivesse, em formato de lágrimas e respiração calma, virada do lado esquerdo, numa espera angustiante.

Porque eu estou destacando essas coisas?

Existe um propósito por trás de cada oração respondida ou não, e o milagre é feito conforme o plano maior de Deus para a humanidade, que NÃO É relacionado com merecimento, boas obras ou quantidade de vezes que orei.

O que esses milagres geraram em minha vida?

Quando adolescente, não desisti de viver, e segui obedecendo ao Senhor, longe de escolhas erradas, porque tinha convicção de que O Senhor me quis neste mundo. Mesmo frente a diversas acusações falsas, entendi que Deus me amava e me via, sabia a verdade sobre mim.

Quando meu carro foi encontrado, entendi que Ele queria que esse bem fosse totalmente para o bem das pessoas e Sua Obra. Me fez reconhecer que tudo vem d’Ele. Eu até poderia ter comprado, mas foi Ele quem me devolveu, não havia nada meu ali. Toda a glória foi rendida a Ele, por todas as pessoas que me cercavam.

Quando meu noivo e eu nos vimos vivos diante daquele acidente, apenas nos restou entender que nossa vida era para ser vivida para Ele. Se ficamos vivos, sem sequelas, deveria ser para Seu Reino. Aprendemos que daquele acidente sobrou a única coisa que realmente importava: nós,  algumas roupas (nossa bagagem ficou intacta) e a mensagem do Evangelho em nós.

Deus me deu uma filha. Nesse milagre ainda tenho pensado e processado, mas já posso dizer que uma coisa eu sei: Ela é d’Ele. E todos viveremos para Seus propósitos. E todo e qualquer treino ou atitude que temos para com ela, tem como objetivo viver essa vida dependendo d’Ele.

Eu coleciono pequenos e grandes milagres, como também, pequenos e grandes “nãos”. Diante de todos eles, entendo que “Deus age em todas as coisas para o nosso bem, que é ser conformada, transformada, como Jesus, por dentro e por fora” (Romanos 8:28-29). A confusão está em achar que esse bem, do texto acima, é o bem na definição do que eu penso ser o “bem”.

Talvez você não tenha tantos milagres para contar, mas como diz uma cantora que admiro, o milagre é você. Aprenda a ser grata e a ter a perspectiva correta.

Por isso comecei esse texto com esse primeiro milagre, minha vida, minha existência. Entender sua origem, a razão dela, pode e deve te livrar de seguir o rumo desse mundo, e te ajuda a andar dentro do que Deus escreveu para você, em Sua Palavra.

O Deus de ontem é o mesmo de hoje, e tudo já está escrito e determinado. Viva, agradeça e espere. Floresça onde está plantado, com o que tem. Não estou dizendo que Deus não opera milagres hoje, estou afirmando que os propósitos de Deus são maiores que os milagres, e que devemos crer n’Ele, pois os pensamentos d’Ele, para nós, são pensamentos de paz e não de mal (Jeremias 29:11).

Hoje você tem uma decisão a tomar: direcionar sua vida com Deus (orações e votos)  atrás de milagres, ou atrás de cumprir Seus propósitos para a expansão do Reino. Você precisa fazer essa escolha. E, de fato, nisso, só existe uma verdade, ou você vive o propósito, ou vive frustrado. Viva o propósito, e os milagres serão vistos na caminhada.

Moisés saiu para um simples dia de trabalho, quando viu Deus numa sarça ardente. Viva!

Escrito por

"Uma quase Campineira, casada com um baiano que conheceu no Instituto Bíblico Peniel, onde se formaram em Teologia, e uniram duas culturas diferentes, o que tem tornado suas vidas mais empolgantes e cheias de amor. Também é mãe de uma linda menina, atualmente com cinco meses. Gosta de ler, ouvir boa música, apreciar o pôr do sol e tomar uma Coca com amigos. Nos últimos dois anos, completaram uma formação como missionários transculturais, e agora sua família deseja alcançar os que ainda nunca ouviram falar sobre Deus."

7 comentários em “Não há milagre sem propósito

  1. Fui edificada , quanto cuidado do nosso Deus .
    É claro continuar orando , contando os milagres do nosso Deus.
    Mas nosso foco tem que ser de levar a sua palavra aqueles que ainda não o conhecem , expandir o Teu Reino e a vontade Dele é a que prevalece , pois já está escrito , tudo é segundo Seu propósito.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s