O que falta na sua panela?

Eu e as panelas já tivemos vivências interessantes ao longo de nosso relacionamento. Na maior parte do tempo, eu sentia certa animosidade por parte delas, como se estivessem torcendo para que eu tomasse decisões equivocadas durante a execução das receitas. É fato que – preciso admitir – sempre mantive uma relação superficial com as amigas […]

Leia mais

Do espirro ao ombro amigo

Um espirro forte pode ser apenas um estrondo. Mas o que é desagradável sempre pode piorar. Aprendi essa lição no último ano do Ensino Médio, em um episódio inesquecível em nossa turma de finalistas da escola. Um de nossos colegas espirrou com força descomunal e a mesma produziu um efeito simultâneo em suas funções intestinais. […]

Leia mais

O hamster, o rato e os tagarelas

Em meados de 2013 eu finalmente percebi a minha desordem emocional. Noites seguidas de insônia e a forte angústia que sentia o tempo todo me levaram a entender que havia dentro de mim uma preocupação excessiva com o que aconteceria amanhã. Diante das responsabilidades que assumi no jornal impresso onde eu atuava, buscava fazer o […]

Leia mais

Apenas o Calcanhar

Chegamos ao parque antes do pôr do sol. No cenário, às margens do rio Negro, na zona Oeste de Manaus, pessoas caminhavam, outras conversavam e havia crianças alegrando o local. Apesar da aparente tranquilidade e das imagens típicas de uma tarde de domingo, aquela não seria uma experiência trivial. Aliás, muita coisa pode acontecer na […]

Leia mais

Casquinha de Sorvete

“Dar é melhor que receber”. Passei a infância ouvindo esse ensinamento, embora não o compreendesse. E duas situações corriqueiras me faziam discordar dessa frase. A primeira cena ocorreu a vida inteira, toda vez que minha família ia tomar sorvete. Por família, entenda-se: meus pais, o filho mais velho Filipe, eu (a do meio) e a […]

Leia mais

O legado do supermercado

Aconteceu há pouco mais de uma semana. O jantar havia acabado e parte da minha família materna continuou ao redor da mesa contando “causos” engraçados da rotina. Numa das brincadeiras, o esposo de minha prima revelou um hábito de sua mãe, dona Francisca, chamada carinhosamente de “Chiquinha”. Percebendo que dona Francisca ouvia a conversa, ele […]

Leia mais

A morte da caneleira

Foi no fim de 2015 que perdemos um bem precioso em nossa casa: a caneleira. Também chamada de “pé de canela”, essa árvore marcou a minha adolescência. Com caule grosso e copa frondosa, a caneleira cumpria várias funções importantes. Em primeiro lugar, proporcionava sombra no quintal nos dias de muito calor (ou seja, quase todos […]

Leia mais